Aumentar receitas através da utilização dos media digitais: o caso Rock in Rio

Aumentar receitas através da utilização dos media digitais: o caso Rock in Rio

Desde 2010 que o Rock em Rio aposta nas plataformas digitais para se relacionar com os seus fãs e chegar a cada vez mais pessoas. Actualmente alcança mais de 9 milhões. 2,5 milhões só no Facebook.

Se no inicio teve de começar do zero porque não tinha qualquer base digital, nos dias de hoje o Rock in Rio dedica-se continuada e regularmente à comunicação digital (mesmo fora dos dias do festival) e une os esforços de toda a equipa, seja no Brasil, Portugal ou Espanha.

Isto porque, segundo uma entrevista que deu ao portal Mundo de Marketing, Rodolfo Medina, Vice-Presidente do Rock in Rio, considera que a internet e as redes sociais são tão importantes quanto a televisão.

A interacção com os fãs é potenciada através da promoção de concursos, da criação de material exclusivo (fotos, videos, webseries), da divulgação de informação em tempo real sobre o festival e da transmissão nos dias de espetáculos e permite divulgar outros produtos secundários como o "Rock in Rio, o Musical” e o programa de vantagens Rock in Rio Club.

A preocupação com o tom e a identidade da marca nos media digitais tem sido uma constante: nas redes sociais utiliza-se uma linguagem descontraída e próxima dos fãs. Estimula-se a interacção através da partilha de histórias e percepções pessoais sobre o Rock in Rio fazendo com que os organizadores conheçam cada vez melhor o perfil do público e possam adaptar o festival em termos de programação, posicionamento e estrutura.

Segundo o responsável pelas plataformas digitais, Christian Roças: “Assim, melhorarmos a marca e aperfeiçoamos nosso trabalho não só no digital, pois servimos como uma fonte diária para abastecer as outras áreas e a criação do evento. Isso ajuda a atender da melhor maneira o que o público está dizendo".

A titulo de exemplo, Roças menciona a história de um casal que se tinha conhecido no concerto dos Gun´n Roses em 2001 e que mencionou no Facebook a sua tristeza por não poderem ir ao festival já que se iam casar nesse dia: "Levamos a história para a Roberto Medina e o resultado foi a realização da cerimônia de casamento deles no coreto do evento".

Os conteudos gerados pelas informações obtidas nas redes sociais é tão importante que já permitiu criar uma fonte múltipla de receitas. Isto porque as marcas envolvidas já perceberam o potencial de comunicação deste projecto digital e se têm aproximado do festival para gerar lucros.

A marca CVC, por exemplo, aproveitou o facto de se terem esgotado os bilhetes para a edição de 2013 para divulgar os seus pacotes de entradas no Rock in Rio no website e na fanpage do evento. Já a marca de cachaça Seleta inspirou-se no festival para criar a sua cover image nas redes sociais e realizar acções exclusivas nesse ambiente.

Mesmo os patrocinadores do evento, como a Trident e o Club Social tiram partido do festival criando acções de promoção através de jogos interactivos. Este ano o Rock in Rio aposta também no mobile através da disponibilização de uma app gratuita para smartphones que permitirá fazer anotações e agendamento de espetáculos.

Leia mais no portal Mundo do Marketing.

Photo credit: Maurício Santana via photopin